de Cláudia Kover

A Mulher que escreve é pior que a mulher de saltos e caçadeira. A Mulher que escreve é sombra no medo do homem armado – é o receio que se ignora.

Despe o vestido em prosa e calça qualquer tamanco em verso. Pode ter o cabelo branco e a pele enrugada mas não perde a força incessante nos olhos juvenis e entristecidos.

A Mulher que escreve deixa o mundo de rastos, afoga-se em pensamentos e deixa o comum feminino pendurando num cabide do ferro velho.

A Mulher que escreve é dona de um espaço, mesmo que este não lhe pertença e esteja habitada por famílias inteiras.

É, pelo menos, dona de um papel. A Mulher que escreve estraga os saltos agulha e desarma o mundo.

_____________________________________________________________________

CKoverCláudia Köver nasceu em Lisboa. Portuguesa de origem alemã, vive na dictomia do caos e da ordenação.

Actualmente reside em Bruxelas, onde se inspira na vida de todos os dias para dar continuidade aos seus caminhos na escrita.

Contacto telefónico: 0032 460 76 79 16