de Aida Suarez (Livraria Confraria Vermelha)

Aqui esta a minha primeira contribuição para a revista Revirada (a quem desejo longa vida). Escrevo desde terras lusas mais propriamente desde a Mui Nobre Cidade do Porto.

Aqui neste jardim nas margens do Atlântico as coisas têm um “timing” diferente e o livro da espirituosa Lena Dunham (da serie Girls) chegou as livrarias portuguesas no passado mês de Março.

Por isso, é inevitável negar, que este é um dos primeiros títulos que desejo que habite as estantes da Confraria Vermelha a primeira livraria de mulheres no Porto e em Portugal, a abrir as suas portas em breve.

Mas voltando ao livro…

Acho que a escolha do lançamento do livro neste exacto momento é para aproveitar a onda feminista que Portugal está a viver. A comunicação social diz, que o feminismo está na moda e parece ser que Portugal já aderiu.

Ela é plataformas online onde figuras públicas colocam sobre a mesa temas feministas, é acções activistas e criativas em estabelecimentos públicos misóginos, é revistas online feministas… e como tudo o que esta na onda vende, as editoras não perderam a oportunidade e lançaram (quando a onde vai alta) o livro “Eu não sou esse tipo de miúda” (tradução para o português europeu).

Independente do feminismo estar ou não na moda, da Lena ser ou não uma figura mediática eu fico feliz que o livro tenha sido traduzido para português e publicado na cresta desta onda feminista que estamos a viver na terra das Marias. Com moda ou sem moda em Portugal a palavra feminismo tem sido e, em determinados círculos, continua a ser impopular. Por isso, tudo o que é publicado e que tenha a ver com o feminismo é bem recebido (pelo menos por mim).

Voltando outra vez ao livro…

Só vos posso dizer que fiquei muuuuito feliz por ter mergulhar nas suas páginas e descobrir uma Lena Dunham honesta, descarada e orgulhosa da sua torpidade. Confesso, ela já me tinha conquistado na serie Girls mas não me desiludiu com a sua selfie literária.

Uma deliciosa selfie literária que li no meu primeiro dia de menstruação, numa tranquila tarde de Domingo.

Lena tem uma escrita ágil e bem-humorada que nos leva por paisagens íntimas como as suas experiências sexuais. Tudo contado com detalhe. Detalhe que muitos podem considerar superficial e descartável mas que muitas identificamos como sensibilidade, vulnerabilidade e auto-afirmação feminista.

Um livro autobiográfico e divertido que deixa claro que ainda temos, nós mulheres, um longo caminho para podermos fazer o que nos apraza sem julgamentos nem sentimentos de culpa. Um livro ideal para ler nas tardes menstruantes de domingo, acompanhado do nosso chá favorito e quando finalizarem a leitura se quiserem seguir no registo divertido das mulheres deliciosamente desbocadas (com as quais eu adorava ir tomar um café) podem ver os vídeos da Beatriz Gosta no youtube.[http://goo.gl/oTxrX8]

Em Março, aqui nas terras do fado e da saudade, tivemos mais um lançamento essencial para o feminismo, o segundo volume do “Segundo Sexo” de Simone de Beauvoir. O volume 1 foi lançado em Janeiro deste ano. Esta nova edição ocorre 60 anos volvidos sobre a sua primeira publicação e todas sabemos que os temas que Simone de Beauvoir discute neste célebre tratado sobre a condição da mulher continuam a ser pertinentes e a manter aceso um debate clássico.

Não posso esconder que ambos volumes terão destaque especial nas estantes da Confraria Vermelha Livraria de Mulheres. O “Segundo Sexo” é uma obra essencial do feminismo, e as suas considerações acerca dos condicionamentos sociais que levam à construção de categorias como «mulher» ou «feminino» ̶ e que estão na base da opressão das mulheres ̶ são hoje amplamente aceites.

Estes e outros livros, a Confraria Vermelha e outras livrarias de mulheres, são necessários pois o feminismo ainda não completou o seu trabalho. Ainda não existe uma sociedade equilibrada por isso temos de continuar a fazer juntas :)

Aida Suárez, a livreira vermelha

Livrariaconfrariavermelha.com

osteuslivros@gmail.com