de Tatiana Canas.

Vejo-te em cada sítio,

Que percorremos de mãos dadas

O nosso cheiro confundido,

Num abraço de corpos unidos,

Amando-se por horas roubadas.

 

Provo-te e, em cada beijo teu

Sinto a promessa de mais,

A tua voz no meu ouvido,

Descendo devagar ao umbigo,

Transforma-nos em imortais.

 

Com as mãos percorro-te o corpo,

Por curvas que sei de cor,

E – exausto – por fim adormeço

Sem saber se é de amor que enlouqueço,

Ou de paixão é feita a minha dor.

 

_________________________________________________

TC oficial

Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa (FDUNL) e pós-graduada em Gestão de Recursos Humanos (GRH) pelo Instituto de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa (ISCSP-UL), é Mestra em Estudos de Género pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH-UNL). A sua tese de Mestrado ganhou o Prémio de Melhor Mestre 2011/12 da FCSH-UNL na sua categoria. Foi publicada pela Almedina (2014).